terça-feira, 24 de agosto de 2010

Poema Subterrâneo

Poema Subterrâneo

Somos os homens da noite,
Da densa noite das tocas
Onde o minério se esconde.
Somente a nós se permite
Esta visão da montanha:
Montanha vista por baixo,
Menos vista que sentida.

Somos os homens do medo
Mineralmente gravado
Em nossos pulmões de pedra.
Somente a nós se permite
O silêncio mais perfeito:
O silêncio com que as rochas
Preparam desabamentos.

3 comentários:

  1. Carla: lendo o seu poema me lembrei dos mineiros presos no Chile sem perspectivas de resgate rápido. E lá estão cuidando uns dos outros. Verdadeiros heróis enterrados vivos. Abraços Poéticos Piracicabanos

    Ana Marly

    ResponderExcluir
  2. Menina querida, lindíssimo poema carregado da real emoção que arrebata o coração poeta diante da incerteza da existência! BRAVOOOO!! Bj Mel

    ResponderExcluir
  3. Carla 'Superterrânea',

    Este seu é um dos meus favoritos! Parabéns sempre! Safira

    ResponderExcluir