segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Coreografia

A quem sabe ver beleza até em redemoinhos de poeira

Coreografia

De nada lhe serviremos
Se não nos souber olhar.

Somos areia grosseira,
Folhas soltas espalhadas,
Aparas sem importância
Sujando ruas, calçadas.

Do vento com seus volteios,
Girando em rápido salto,
Vem o anseio de ser visto
A levar-nos para o alto.

Seremos pobres andrajos,
Vestindo o senhor da dança
Que, ao final de cada ato,
De volta aos seus pés nos lança.

Somente assim serviremos
A quem souber se encantar,
Doando a cada momento
Um novo modo de olhar.


13 comentários:

  1. Ah! Pobres "andrajos" que somos nós... Sua poesia levou-me a profunda reflexão de vida... sobre a coreografia que protagonizo... Seria a que realmente me faz bem?
    Linda poesia, com filosofia profunda! Parabéns!
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  2. Que bonito! Reportei-me aos velhos tempos em que,morando então na Cidade Maravilhosa, encontrava-me na rua em meio à grande ventania.
    Mesmo apreensiva, via beleza naquela coreografia espontânea, cujo palco era a rua...

    Um ecanto! Bravo!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carla.
    Amo as suas poesias!
    Nesses tempos, cá pras bandas onde moro, o cenário está assim, como na sua coreografia, poeira pra todo lado. E folhas secas caindo e as árvores ficando tristinhas. Mas tudo depende mesmo é do olhar.
    Menos o mato queimando, menos a fumaça nos afogando, que isso vem mesmo atrapalhar a dança da natureza.
    *Sua poesia mata saudades, mas me enche de vontade de ler mais.
    Um grande abraço :)

    ResponderExcluir
  4. Você propõe ao leitor um novo modo de olhar, Carla. E você exerce esse olhar diferenciado na sua poesia, sempre bela e renovada. Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá Carla, e que tudo permaneça bem contigo!


    Com certeza, se as pessoas olhassem com vontade de ver a realidade, creio que não estaria tão confusa esta nossa passagem por cá. E este é o problema, grande parte das pessoas olham ao redor tentando ver o que desejam e não o que realmente está acontecendo.

    E como sempre você elabora um poema de maneira a que o leitor tente ver através das palavras tão bem montadas em cada verso, parabéns poetisa Carla, e obrigado por compartilhar com amigos teus pensamentos!

    Também agradeço por tuas tão gentis visitas e comentários, e desejo a você um viver de intensa felicidade sempre, um grande abraço e, até mais!

    ResponderExcluir
  6. OI CARLA CERES!
    SOMOS TODOS PROTAGONISTAS DE NOSSA PRÓPRIA COREOGRAFIA DE VIDA.
    NEM SEMPRE ACERTAMOS EM NOSSAS ESCOLHAS, MAS, NA CERTA É O MELHOR QUE CONSEGUIMOS FAZER.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  7. Olá, parabéns pelo seu blog!
    Se puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  8. Carlinha isso que é poema viu e nao aquelas coisas sem sentido com palavras complicadas.
    Adorei esse. Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi, Carla. Arrasou menina. Lindo!! Amei! Obrigada pelo carinho sempre. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. É preciso ter sensibilidade para compreender a coreografia da vida...Bonito! Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Minha querida

    Que a coreografia da vida seja pintada de cores vivas, lindo sempre.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  12. Oi Carla, adorei o post.
    Tenha um ótimo começo de semana,
    Com carinho,
    Arione

    ResponderExcluir