terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Encomenda Póstuma

Achei esta foto no Google. Retiro se o dono pedir.

Encomenda Póstuma

Hoje encomendaram um poema póstumo.
Um rapaz armado assaltou-me em casa.
Não queria vídeo,
DVD não tinha.
Tomou toda a vodca,
Mas queria crack.

“Droga de poeta que não tem dinheiro
Nem cartão de crédito!
Passa a grana ou morre!”

Tentei convencê-lo:
Um poeta morto nada lhe valia.

“E um poeta vivo vale o quê? Poesia?”

Acertou-me o peito do lado direito
E gritou: “Não morre, frouxo de uma figa!
Foi de brincadeira. Anda, acorda logo!”

Segurou-me o pulso.
Implorou contrito:
“Olha, eu acredito nessa história toda
De ter outra vida quando a gente morre.
Se você for nessa... se bater as botas,
Manda uma mensagem, diz que me perdoa.
Manda lá pro centro... lá onde eu frequento.
Pode ser poesia.
Qualquer coisa serve.”

25 comentários:

  1. Oi, pessoal!

    O Blogger não está me deixando comentar em alguns blogs, mas continuo lendo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Hoje me assustei com a crueza das palavras, mas mesmo assim encontrei o lirismo que camuflaste em cada uma delas.
    Também estou com dificuldades em comentar.
    Um grande bj querida amiga

    ResponderExcluir
  3. oi Carlinha,

    você é incrível,
    sou sua fã número um...
    pode apostar tenho até carteirinha...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carla, que legal, adorei a sensibilidade do assaltante. Fica comprovado que os brutos também amam. Beijo e uma noite de paz!

    ResponderExcluir
  5. Uma visão até romântica das barbáries que presenciamos hoje... :)
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  6. Muito legal seu poema, Carlinha. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Minha querida

    Um poema belo para o feio que acontece nos dias de hoje com a criminalidade...Adorei e deixo um beijinho com carinho.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  8. Carla... Você nos toca de uma forma intensa com as suas criações.
    Essa postagem, após ter a minha casa arrombada conseguiu arrancar de mim fortes suspiros.
    Meus passos ainda estão lentos pela blogosfera, mas sempre que posso estou aqui lendo e admirando as suas postagens.
    Beijos com muito carinho e admiração

    ResponderExcluir
  9. Olá poetisa, que permaneça tudo bem contigo!

    Sempre com este teu estilo de escrever sobre o atual sem chocar está deixando seu recado neste belo e inteligente poema, e como de outras vezes devo parabenizá-la por este teu estilo que sempre encanta.
    E grato por tuas visitas e comentários deixo meu sempre desejo que você e todos ao teu redor tenham um intenso e feliz viver, abraços e até mais!

    ResponderExcluir
  10. [risos]

    Plá, plá, plá, plá...

    Palmas para você. Perfeita criação.

    Final de semana sem ladrão para você!

    ResponderExcluir
  11. Ai, que me doeu...
    Vc soube que eu fui assaltada há alguns dias, na porta de casa... e lendo seu poema, lembrei de tudo!
    Claro que seu ladrão foi mais poético... o meu foi: "perdeu, não raste o carro que eu lhe atiro!"
    É mole??? Cadê poesia?

    Mas você consegue colocar poesia até num assalto!
    Cruz credo!!!

    Bjooo

    ResponderExcluir
  12. Carla, esta vítima foi criativa e vai baixar em algum centro, mas dizem os entendidos que a alma vai purgar em algum lugar para enfrentar o que deixou para trás em outras vidas; e poetas são assim mesmo em vida terrena e o que mais existe é alma de poeta perdido por aí, ahahah.

    ResponderExcluir
  13. Passei novamente por aqui para agradecer o carinho das palavras!
    É sempre bom tê-la por perto!
    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde Carla. Fiquei sem fôlego, tão forte é este poema, pude ver a cena se formando dentro de mim. Preocupa-me muito que fatos assim aconteçam todos os dias, com poetas, pais de familia e tantas pessoas que não voltam para contar sua história. Parabéns é de poetas engajados que precisamos para tocar o coração das pessoas.

    ResponderExcluir
  15. sílvia regina de oliveira11 de dezembro de 2011 20:24

    ai ai ai, carla,

    até o último minuto, mesmo se for no derradeiro, alguma Poesia é lembrada... valeu pelos 2 lados criativos: do assaltante e do assaltado!

    bjs sem susto, pelo amor!
    safyra

    ResponderExcluir
  16. Muito oportuno seu comentário recomendando para que eu parasse de procurar carteira perdida, já providencio documentos novos porque a vida continua e somos abatidos e roubadods sempre por aí.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  17. Que intensidade, amiga...
    Muitos realmente acham opoeta um ser sensível demais, quase frouxo, mesmo e que só serve para fazer poesias, mas há poetas que passaram por este mundo e que continuam passando que são bem mais que filósofos - trabalhadores, operários que produzim para a alma de tantos... Lindo.
    Abraços, minha linda!!!

    ResponderExcluir
  18. Carla, essas suas encomendas são todas ótimas. Vou encomendar uma poesia, quanto custa? Algumas horas de pensamento fantasia? Humm, isso é muito caro, rouba toda a realidade. O ladrãozinho não sabia que a poesia o entorpeceria muito mais que o crack ou o que qualquer droga faria.
    Ótima! Beijo!

    ResponderExcluir
  19. Oi, gostei dos teus poemas, excelente teu blog, parabéns!

    ResponderExcluir
  20. Nesses novos tempos,
    não há nada mais
    "qualquer" do que poesia.

    ResponderExcluir
  21. Minha querida

    Hoje passando para agradecer o carinho de sempre e oferecer uma fatia de bolo de aniversário...embora virtual é de coração.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  22. Oi querida, sou Arione, gostei muito do seu blog, é muito lindo e de textos maravilhosos!
    Estou te seguindo, se quiser meu blog fique a vontade:
    http://www.arionetorres.blogspot.com/
    Tenha uma ótima semana, bjus...

    ResponderExcluir
  23. Teu post hoje esta fora de série.Parece mentira que este tipo de acontecimentos são frutos de nossos dias atuais.Gosto muito de passar aqui no teu blog pois acho excelente o que escreves e apresentas.Grande abraço.

    ResponderExcluir
  24. Olá Carla. Só posso dizer que adorei a mensagem pro ladrão rs rs rs muito inteligente. Gostei muito dessa visão romântica do poema! Bjos perfumados e todo carinho pra vc. Obrigada sempre!

    ResponderExcluir